Compartilhe

Programa LIDER discute turismo, infraestrutura e gestão pública

Publicado em 07/11/2018 às 11:17 - Atualizado em 07/11/2018 às 11:37

A 4ª etapa do Programa Liderança para o Desenvolvimento Regional (LIDER) promovido pelo SEBRAE/SC em parceria com a Associação dos Municípios do Oeste de Santa Catarina (AMOSC) reuniu empresários, gestores municipais e representantes de entidades e instituições, no Pratas Thermas Resort & Convention, em São Carlos. O foco do evento, realizado nessa semana, foi discutir oportunidades de negociação e articulação, visando prepará-los para enfrentar as necessidades, barreiras e desafios que surgirão durante o processo de mobilização dentro e fora do grupo.

A primeira palestra foi conduzida por Zene Drodoswski, da Fundação de Turismo Municipal de Porto Belo, que focou no tema “Turismo” ao contar a história do Consórcio Intermunicipal de Turismo Costa Verde & Mar (CITMAR) criado com a missão de desenvolver e promover a atividade turística de forma integrada e sustentável, visando beneficiar os aspectos ambientais, socioeconômicos e culturais da região da Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí (AMFRI).

Segundo Zene, o CITMAR iniciou em março de 2005, quando foi formado o Colegiado de Secretários de Turismo da AMFRI. Com o objetivo de promover o turismo de maneira regionalizada, foi elaborado um planejamento estratégico das atividades a serem desenvolvidas com prioridade para a criação de um plano de marketing, a sinalização turística, a roteirização e a integração dos transportes. Em seguida, foi elaborado o Plano Estratégico de Marketing Turístico Integrado, além da criação do nome da região e de sua logomarca. “Costa Verde & Mar – A Rota do Sol Catarinense” foi escolhida como a marca da região e, em agosto de 2007, foi criado o CITMAR, envolvendo os municípios de Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Bombinhas, Camboriú, Ilhota, Itajaí, Itapema, Luís Alves, Navegantes, Penha e Porto Belo. 

 A Costa Verde & Mar é repleta por belezas naturais e opções de entretenimento para todos os públicos. A região consolidou-se como um dos destinos turísticos mais procurados e desejados do Brasil. Para fortalecer ainda mais as ações de turismo, foi firmada parceria com o SEBRAE/SC que oportunizou palestras de preparação com o trade, reposicionamento digital, otimização digital, missão à Espanha, entre outros aspectos que contribuíram para que o consórcio consolidasse sua atuação.  

INFRAESTRUTURA

O gerente de assuntos de transportes, logística, meio ambiente e sustentabilidade da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), Egídio Antônio Martorano, proferiu palestra sobre a Infraestrutura de Transporte e a Logística Catarinense. Apresentou um panorama da situação atual e os desafios de Santa Catarina e da região Oeste na área. “Temos a clara percepção, baseada nas análises, monitoramentos e levantamentos realizados pela FIESC, de que enfrentamos graves dificuldades relacionadas com a falta de planejamento, gestão e de investimentos”.

Segundo ele, não há outro caminho a não ser uma ação proativa e, por isso, iniciativas como essas são muito importantes. “Nós somos dependentes do governo federal e somos avessos, muitas vezes, ao planejamento que o próprio Estado está fazendo. Necessitamos discutir e apresentar nossas demandas locais para que sejam inseridas em um planejamento global”.

Martorano perguntou aos presentes se teriam conhecimento sobre alguma iniciativa de planejamento sistêmico integrado para a logística e o transporte catarinense. Essa deve ser uma demanda da região, no sentido de definir prioridades e procurar alternativas e ações necessárias para a maior eficiência da logística. Esse planejamento deverá identificar prioridades com critério eminentemente técnico. “Nossa demanda anual de investimentos até o ano de 2021 nas nossas rodovias, ferrovias e aeroportos é de 4,2 bilhões de reais”.  

O desafio é grande e o governo, tanto no âmbito estadual quanto federal, encontra severas restrições fiscais. Por isso, segundo ele, a única saída é procurar a participação privada em obras de infraestrutura. “No Oeste, por exemplo, pode-se muito bem observar a condição precária das rodovias pela falta de manutenção preventiva e rotineira – para cada real não investido nesta manutenção são necessários quatro reais para restauração. O governo tem restrição grande para investimentos e, portanto, temos que tomar atitude e avaliar a possibilidade da participação público privada ou concessão para manter nosso patrimônio, no caso nossas rodovias”.

De acordo com Martorano, é preciso união e definição das prioridades, ou seja, é necessário chegar no âmbito do governo já com o consenso de um projeto para a infraestrutura que seja tecnicamente embasado ou que defina as oportunidades para investimento privado em determinadas áreas. “Podemos incorporar o segmento privado desde que haja bons projetos”, finalizou. 

 GESTÃO PÚBLICA

Por fim, o superintendente de Desenvolvimento, Indústria e Comércio da Secretaria Municipal de Turismo, Tecnologia, e Desenvolvimento Econômico de Florianópolis e coordenador do Cidade Empreendedora no município, Piter Santana, abordou o tema “Gestão Pública”. O objetivo foi trazer um pouco das atividades que partem tanto do Poder Público Municipal, quanto da iniciativa privada na qual atua também como presidente da Associação das Micro e Pequenas Empresas. “Apresentei as atividades que vem sendo desenvolvidas em Florianópolis nesses últimos 17 meses e falei sobre as ações de inovação que o município vem realizando”, observou.

Santana abordou a questão de um ambiente mais empreendedor com destaque para o Juro Zero Floripa (programa de crédito da prefeitura), o Exporta Floripa que foca na internacionalização das empresas e o Floripa Empreendedora no Bairro que consiste na visita às comunidades para falar sobre empreendedorismo. Também explanou sobre as ações que envolvem o Programa Cidade Empreendedora como, por exemplo, o Programa de Empreendedorismo nas Escolas, as questões referentes à desburocratização, Sala do Empreendedor, as atividades do Centro de Empreendedorismo, entre outras.

No que se refere à inovação destacou o Fundo Municipal de Inovação, a Rede de Inovação realizada em parceria com a Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) e a Rua de Inovação onde estão sendo implementadas várias ações da área para que Florianópolis esteja preparada para receber novas soluções.

A programação no primeiro dia de evento contou, ainda, com explanação dos delegados coordenadores do Serviço Aeropolicial de Fronteira (SAER/FRON) Ricardo Casagrande, Leonardo Ecco e Albert Dieisons Silveira, bem como do Dr. Rogério Barcala - um dos médicos que compõem a equipe do Serviço de Atendimento e Resgate Aeromédico de Chapecó (SARA) que abordaram o eixo “Saúde”. Também participaram o reitor da UNOCHAPECÓ Cláudio Jacoski com o tema “Inovação” e o presidente da FECOAGRO Claudio Post, com o tema “Agronegócio”. 

PROGRAMA LIDER

O programa LIDER estimula a criação de um ambiente favorável aos pequenos negócios para o desenvolvimento regional sustentável, trabalhando três dimensões da competitividade: a sistêmica (gestores públicos e prefeitos), a empresarial (empresários locais e suas entidades representativas de classe) e a estruturante (esforço conjunto da sociedade organizada).

 

SILVANIA CUOCHINSKI / MARCOS A. BEDIN

MB Comunicação Empresarial/Organizacional


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar

Av. Getúlio Vargas, 571-S, Centro, Chapecó - SC
CEP: 89812-000